Primeiro caso de nova variante diagnosticada em Israel

Uma subvariante da mutação do coronavírus Delta, que disparou o alarme no Reino Unido, foi encontrada em  Israel, disseram autoridades de saúde na terça-feira.

Segundo relatos da mídia israelense, a subvariante foi encontrada pela primeira vez em Israel em um menino de 11 anos que entrou no país vindo da Moldávia. Ele foi detectado no aeroporto e enviado para o isolamento, noticiou o Canal 12.

O AY4.2 está sendo monitorado de perto por autoridades do Reino Unido, que pediram uma pesquisa urgente sobre a subvariante, embora o pessoal de saúde afirme que ainda não há evidências de que esteja causando um aumento nos casos de coronavírus em alguns lugares.

Funcionários do Ministério da Saúde de Israel planejam realizar uma reunião sobre a variante, em meio a temores de que uma nova cepa do vírus em Israel pudesse reverter o número de infecções que está diminuindo.

No Reino Unido, onde o AY4.2 foi descoberto pela primeira vez, as taxas de infecção permaneceram altas, apesar das altas taxas de vacinação, e na segunda-feira quase 50.000 novos casos de COVID-19 foram registrados.

O porta-voz do primeiro-ministro britânico Boris Johnson disse que o governo está “de olho” na variante AY.4.2, mas disse que não há evidências de que ela se espalhe mais facilmente.

LEIA TAMBÉM

“Como era de se esperar, estamos monitorando de perto e não hesitaremos em agir se necessário”, disse ele a repórteres.

No domingo, Scott Gottlieb, ex-comissário da Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos, pediu uma pesquisa sobre a subvariante.

“Não há nenhuma indicação clara de que seja consideravelmente mais transmissível, mas devemos trabalhar para caracterizar mais rapidamente essas e outras novas variantes. Temos as ferramentas”, escreveu ele no Twitter.

François Balloux, professor de biologia de sistemas computacionais da University College London, disse que o AY.4.2 tem duas mutações de spike encontradas em outras variantes do coronavírus e foi sequenciado pela primeira vez em abril de 2020.

A subvariante era “rara” fora da Grã-Bretanha e havia apenas três casos detectados até agora nos Estados Unidos, acrescentou.

“Como AY.4.2 ainda está em uma frequência bastante baixa, um aumento de 10 por cento em sua transmissibilidade poderia causar apenas um pequeno número de novos casos”, disse ele. “Assim, não impulsionou o recente aumento no número de casos no Reino Unido”.

Bayroux, diretor do UCL Genetics Institute, acrescentou: “Esta não é uma situação comparável ao surgimento de Alpha e Delta que eram muito mais transmissíveis do que qualquer cepa em circulação na época”. “Aqui, estamos lidando com um pequeno aumento potencial na transmissibilidade que não teria um impacto comparável na pandemia”.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Canva

2 thoughts on “Primeiro caso de nova variante diagnosticada em Israel

Fechado para comentários.