Proposta de reabertura e toque de recolher noturno

Os ministros estão considerando a abertura maior do comércio e a imposição de um toque de recolher noturno como o próximo estágio da estratégia de saída de bloqueio de Israel.

Uma reunião entre o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, vários ministros importantes e o chefe do Conselho Nacional de Segurança (NSC, na sigla em inglês) terminou de forma inconclusiva na quarta-feira, enquanto o país luta para encontrar maneiras de controlar a disseminação do coronavírus.

Durante a discussão, os participantes consideraram formas alternativas de permitir uma maior abertura do comércio, o retorno das crianças à escola e a restrição de áreas com alta infecção.

O ministro das Finanças, Israel Katz, que pressiona desde o início da estratégia de saída para abrir lojas, disse que os shoppings e outros estabelecimentos deveriam ser autorizados a retomar as operações conforme planejado originalmente – no domingo, 15 de novembro. Ele concordou que se os shoppings pudessem abrir, o país poderia impor um toque de recolher noturno, conforme sugerido pelo NSC, das 22h às 5h todos os dias.

LEIA TAMBÉM

Mas o ministro da Saúde, Yuli Edelstein, se manteve firme e disse que nada mais deveria ser aberto até que o país alcance os índices necessários.

“Se não atingimos a taxa de reprodução necessária, nada deve ser aberto”, destacou Edelstein.

Netanyahu tentou conciliar as posições de Katz, NSC e Edelstein, recomendando que o comércio fosse autorizado a operar em espaços abertos junto com o toque de recolher noturno.

O conceito de toque de recolher noturno foi levantado pela primeira vez pelo ministro da Ciência e Tecnologia Yizhar Shay, embora várias autoridades de saúde tenham dito na época que os toques de recolher noturnos são ineficazes.

Shay propôs na quarta-feira aumentar a lista de cidades vermelhas que estão fechadas, bem como a fiscalização e as multas.

“A taxa de infecção não é boa”, disse Shay. “Portanto, há uma série de ideias. Vimos o que vários países estão fazendo na Europa, que implementaram fechamentos parciais ou noturnos, para entender os resultados lá.”

O gabinete do coronavírus deve se reunir na quinta-feira para discutir as opções.

Abertura das escolas

No início do dia, o Ministério da Educação divulgou sua proposta final de abertura de escolas para crianças até a sexta série, além de aulas para alunos da 11ª e 12ª série. A proposta também deve ser finalizada pelo gabinete.

O novo plano colocaria os alunos da primeira e segunda séries de volta em suas salas de aula sem cápsulas, cinco dias por semana, durante cinco horas por dia. A terceira e a quarta séries estudariam sem nenhuma mudança, com divisão em grupos de até 20 alunos, cinco dias por semana durante cinco horas cada dia.

A quinta e a sexta séries aprenderiam em grupos definidos de até 20 alunos, pelo menos três dias por semana, durante pelo menos 14 horas por semana. Nenhuma transferência será permitida entre grupos. E a 11ª e 12ª séries aprenderiam em grupos de até 20, pelo menos dois dias por semana.

O Ministro da Educação Yoav Gallant disse que queria cancelar o feriado escolar de Chanuka para permitir que os pais continuassem a trabalhar durante esse tempo, mas para isso, ele precisará da aprovação do Sindicato dos Professores. Ele disse que se a associação não concordar, ele trabalhará para fornecer “acampamentos” durante o intervalo.

Enquanto isso, a IKEA disse na quarta-feira que vai adiar novamente a abertura prevista para quinta-feira, depois que as discussões com o Ministério da Saúde não produziram resultados.

Os esforços para reabrir lojas e as discussões para reabrir escolas ocorrem no momento em que as autoridades de saúde continuam alertando que as taxas de infecção por coronavírus não estão mais caindo tão rapidamente quanto antes e podem até começar a subir novamente.

Atualização dos dados

Cerca de 665 novos casos do novo coronavírus foram relatados em Israel na terça-feira, com 1,6% dos 41.498 testes realizados com  resultado positivo, de acordo com uma atualização na noite de quarta-feira pelo Ministério da Saúde.

Dos doentes, 305 estavam em estado grave e 132 estavam em ventiladores. O número de mortos aumentou para 2.699 – 16 pessoas morreram entre os relatórios do ministério da manhã e da noite de quarta-feira.

A taxa de infecção no setor árabe continua alta.

Na quarta-feira, o Comitê Ministerial para Declarar Zonas Restritas estendeu o fechamento de Majdal Shams, Mas’ade e Bukata por mais cinco dias.

Um relatório do Centro Nacional de Informação e Conhecimento sobre Coronavirus alertou que uma desaceleração na melhora das taxas de infecção poderia ocorrer no fim de semana, como resultado do relaxamento das regras do Ministério da Saúde do início deste mês.

Os dados das últimas duas semanas “indicam claramente” uma parada na queda nas taxas de infecção, bem como um aumento no número de reprodução em todo o país, em comparação com as semanas anteriores, de acordo com o centro, que alertou que se as tendências atuais continuarem, então um novo aumento nas taxas de infecção deve ser esperado em breve.

Todos os membros do Partido Yamina, incluindo assistentes parlamentares e conselheiros que participaram da reunião da legenda em 9 de novembro, serão obrigados a entrar em quarentena, de acordo com um comunicado do partido.

O membro do partido Matan Kahana compareceu à reunião antes de testar positivo para o novo coronavírus. Os membros do partido permanecerão em quarentena até que o Ministério da Saúde faça um inquérito epidemiológico completo.

Foto: Reprodução Facebook Israel Police

One thought on “Proposta de reabertura e toque de recolher noturno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *