Rabinato vai rever reconhecimento de tribunais rabínicos

O Rabinato Chefe de Israel reverteu uma importante decisão política tomada em 2018 quando, após uma prolongada luta legal, publicou uma lista de tribunais rabínicos no exterior para os quais reconhece autoridade para realizar conversões e divórcios.

Em uma decisão tomada no mês passado, mas não tornada pública, o Conselho do Rabinato Chefe decidiu que todas as conversões e divórcios realizados em tribunais rabínicos no exterior devem ser aprovados pelo Departamento do Rabinato Chefe para Casamento e Conversão.

A nova política foi delineada em uma carta, datada de 22 de março, enviada pelo Secretário do Conselho do Rabinato Chefe, Rabino Yitzhak Daniel, ao presidente do comitê de casamento do conselho, Rabino Yitzhak Ralbag. A carta foi obtida pela organização de serviços religiosos Itim e vista pelo The Jerusalem Post.

A última decisão mais uma vez levantou preocupações de que o Rabinato Chefe está voltando atrás com seu compromisso anterior de transparência e tratamento equitativo de todos os tribunais rabínicos ortodoxos e rabinos.

LEIA TAMBÉM

O diretor do Itim, Rabino Seth Farber, criticou fortemente a mudança de política, descrevendo-a como uma tomada de poder para centralizar a autoridade do Rabinato Chefe sobre as conversões. Ele exigiu que a mudança fosse revertida.

O Rabinato Chefe disse em resposta que problemas, que não especificou, surgiram com a aprovação de conversões após a mudança de política, em 2018, o que exigia a supervisão de seu departamento sobre os casamentos e as conversões.

Em 2018, após uma batalha legal de seis anos travada por Itim, o Rabinato Chefe finalmente publicou uma lista de tribunais rabínicos ortodoxos no exterior que reconhece como competentes para realizar procedimentos pessoais críticos, como conversão e divórcio.

Fonte: The Jerusalem Post

Foto: Юкатан, CC BY-SA 4.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 (Wikimedia Commons)

One thought on “Rabinato vai rever reconhecimento de tribunais rabínicos

  • 10 de abril de 2021 em 13:46
    Permalink

    Eu acredito que seja mais uma luta de poder do que uma luta por preocupações religiosas ou com Israel, as pessoas tendem a se preocupar em mandar e dez mandar, e não olham e nem veem o lado de cada um que está fora de Israel .

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *