Revista lista Mar Morto como principal destino de cura

A revista de viagens norte-americana Travel & Leisure divulgou, esta semana, sua lista dos dez principais destinos de cura ao redor do mundo, e o Mar Morto, no sul de Israel, é o primeiro da lista.

É seguido por Yakushima Island no Japão e The Healing Hole em Bimini (Bahamas). “Além de ser absolutamente de tirar o fôlego”, escreve T&L, o Mar Morto há muito é valorizado por suas propriedades saudáveis.

Seu ar filtrado, o que diminui a chance de queimaduras solares, deve-se a ser o lugar mais baixo da Terra, a 430 metros abaixo do nível do mar.

A revista também elogia a icônica lama negra do Mar Morto, usada para ajudar a livrar a pele de células mortas e aliviar condições dolorosas, como psoríase, dermatite, artrite, reumatismo e outras, devido à sua capacidade de estimular a circulação sanguínea.

A lama e o mar contêm enxofre, magnésio, cálcio, cloreto, sódio, brometo, potássio e outros oligoelementos – ao todo, 21 minerais essenciais, dos quais 12 são exclusivos do Mar Morto.

LEIA TAMBÉM

A salinidade da água do lago é de 34,2% (em comparação com 3,5% no Mar Mediterrâneo), tornando-o o quarto corpo de água mais salgado do mundo. Mas a água também contém 26 minerais benéficos, incluindo sais de cloreto, magnésio, sódio, potássio, cálcio e bromo.

A atmosfera soporífera também se deve à relaxante mistura mineral que evapora acima do Mar Morto. Inclui uma alta concentração de bromo e magnésio, com sua alta densidade de oxigênio, 15% acima dos níveis médios.

Com poucos alérgenos no ar seco para perturbar pessoas sensíveis, o lago mineral (referido por alguns como um “lago salgado”) é um destino anual para milhares de europeus e israelenses que vêm relaxar e serem curados em sua beleza.

Fonte: Jewish Press
Foto: svetlanabar (Pixabay)