Romênia vai inaugurar Museu do Holocausto

A Romênia abrirá seu primeiro museu nacional do Holocausto mais de sete décadas depois do final da Segunda Guerra Mundial. O Museu Nacional de História Judaica e o Holocausto na Romênia ficará em um prédio de oito andares e 86.000 pés quadrados na avenida central Calea Victoriei, em Bucareste.

Segundo o presidente romeno Klaus Iohannis: “As novas gerações nunca deixarão de se perguntar como o Holocausto foi possível. Muitos de nós tentamos entender o que não pode ser entendido. Unir nossas memórias é um bem comum. Portanto, minha esperança é que este museu nos una”.

O museu, coordenado pelo Instituto Nacional Elie Wiesel para o Estudo do Holocausto na Romênia, terá como objetivo reviver a memória do Holocausto, fortalecer a educação em torno do Holocausto e combater o antissemitismo.

O museu também se concentrará na promoção da história, cultura e tradições de judeus no país, além de sua contribuição para a modernização da sociedade romena.

Cerca de 380.000 judeus foram mortos em territórios romenos durante a Segunda Guerra Mundial, segundo Yad Vashem.

O governo romeno, em 2003, reconheceu o papel que desempenhou no extermínio de judeus durante o Holocausto. No ano seguinte, o ganhador do Nobel e sobrevivente do Holocausto Elie Wiesel, nascido na Romênia, presidiu a Comissão Wiesel, criada para relatar o envolvimento da Romênia no Holocausto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *