Variante Omicron está sob controle

O ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, disse que Israel tem a variante Omicron do coronavírus “sob controle”, depois que o governo fechou as portas para chegada de turistas a Israel e reiniciou um polêmico rastreamento de cidadãos pelo serviço de segurança Shin Bet.

As medidas surgiram no momento em que o segundo caso da Omicron foi encontrado no país.

“Presumimos que uma nova variante apareceria. Graças às nossas medidas defensivas e de fiscalização, localizamos essa variante rapidamente”, disse Horowitz em uma coletiva de imprensa. “Fomos os primeiros a localizá-la e isolá-la. O assunto está sob controle. Não há necessidade de medo ou pânico”.

Horowitz também defendeu a implementação do rastreamento do Shin Bet dos potenciais transmissores da variante, embora expressasse dúvidas.

“Eu tenho um grande problema com o uso de rastreamento. Prefiro que o Shin Bet lide com questões de segurança e não civis”, disse ele, acrescentando que “a implementação do rastreamento do Shin Bet é muito limitada, temporária e tem muita supervisão”.

Horowitz explicou que concordou em apoiar a mudança “por causa da responsabilidade de que tenho de atender ao pedido dos especialistas e tomar essa decisão”. Um plano semelhante foi usado nos estágios iniciais da pandemia de coronavírus.

LEIA TAMBÉM

Horowitz disse que o rastreamento só será usado para localizar aqueles que entraram em contato com pacientes infectados com a variante Omicron. Ele também disse que a necessidade contínua de usar o sistema será revista diariamente.

Horowitz recomendou a vacinação, dizendo que as aplicações são “críticas, especialmente em uma situação onde há uma nova variante”. “É um erro grave esperar”, disse ele.

Dirigindo-se aos pais de crianças que ainda não tomaram as vacinas desde que foram disponibilizadas para crianças de 5 a 11 anos na semana passada, ele enfatizou que “as vacinas são o melhor meio” de proteção contra novas variantes do coronavírus.

A chefe dos serviços de saúde pública do Ministério da Saúde, Sharon Alroy-Preis, disse que foi a rápida disseminação de infecções de Omicron na África do Sul, onde os casos saltaram de 200 para 2.000 em apenas 10 dias, que levou as autoridades israelenses a agir rapidamente.

Ela disse que na África do Sul, as pessoas vacinadas sofreram apenas sintomas leves, indicando que as vacinas são eficazes contra a mutação.

“O que nos preocupa é que há uma população não insignificante em Israel que ainda não está protegida”, acrescentou ela, estimando o número em três milhões de pessoas, pouco menos de um terço da população total.

O Diretor-Geral do Ministério da Saúde Nachman Ash comentou sobre a decisão no final da semana passada de declarar a maioria dos países da África “vermelhos”, o que significa que os israelenses estão proibidos de viajar até eles.

As autoridades israelenses estão indecisas sobre se devem ou não declarar outros países que tiveram infecções como “vermelhos”, disse Ash. Ele apontou para o Egito em particular, onde um turista foi detectado como portador da nova variante. Entre outros países que estão sendo observados de perto estão os Emirados Árabes Unidos e a Turquia, disse ele.

“No momento, estamos monitorando a morbidade e, neste momento, não há base de que haja alguma morbidade especial que requeira a definição de um estado vermelho.”

No início do dia, os ministros do Gabinete do corona aprovaram novas medidas destinadas a impedir a Omicron de avançar no país.

Os pedidos incluíram o fechamento das fronteiras para turistas e o uso do rastreamento do Shin Bet. Medidas de quarentena mais rígidas também foram aprovadas para os israelenses que retornam ao país.

Quatro ministros votaram contra o uso do rastreamento: Ministro da Justiça Gideon Sa’ar, Ministra da Educação Yifat Shasha-Biton, Ministra da Economia Orna Barbivai e Eli Avidar, que é ministro no Gabinete do Primeiro Ministro.

Sa’ar argumentou que, se as vacinas aparentemente previnem doenças graves, não há necessidade de tomar tais medidas drásticas

Avidar apoiou Sa’ar, dizendo que as medidas “sinalizariam histeria para o público”.

No entanto, o primeiro-ministro Naftali Bennett respondeu que esperar por novos desenvolvimentos para tomar uma decisão mais informada levaria ao fracasso, argumentando que uma resposta forte interromperia mais rapidamente um surto em seus estágios iniciais.

Fonte: The Times of Irael
Foto: Canva

One thought on “Variante Omicron está sob controle

Fechado para comentários.