EUA pedem que Israel se junte às sanções à Rússia

A subsecretária de Estado americana, Victoria Nuland pediu que Israel se junte às sanções ocidentais à Rússia, à medida que a tentativa de Jerusalém de permanecer publicamente em uma posição neutra se torna cada vez mais precária.

Os EUA alertaram Israel na sexta-feira contra receber “dinheiro sujo” da Rússia e pediram a Jerusalém que se unisse às sanções ocidentais para punir o Kremlin por sua invasão da Ucrânia.

Israel evitou sanções ou críticas contra a Rússia e o presidente Vladimir Putin, enquanto busca equilibrar seus laços calorosos com Kiev e Moscou.

Países e empresas ocidentais determinaram sanções contra a economia da Rússia, seus oligarcas e alguns funcionários, incluindo Putin, desde o início da invasão.

No entanto, Israel não se juntou aos esforços, incluindo não tomar medidas contra o bilionário russo-israelense Roman Abramovich, que foi sancionado pelo Reino Unido e Canadá.

Além disso, vários jatos particulares viajaram da Rússia para Israel nos últimos dias.

Nuland disse ao canal 12, na sexta-feira, que Israel deveria aderir às sanções ocidentais e barrar os oligarcas russos.

LEIA TAMBÉM

“Você não quer se tornar o último refúgio para o dinheiro sujo que está alimentando as guerras de Putin”, disse Nuland. “Então, o que quer que Israel seja capaz de fazer, os ucranianos agradecerão e a coalizão internacional em apoio à Ucrânia também”.

Questionado sobre a adesão de Israel às sanções do governo Biden, Nuland disse: “O que estamos pedindo, entre outras coisas, é que todas as democracias do mundo se juntem a nós nas sanções financeiras e de controle de exportação que aplicamos a Putin. Temos que espremer o regime, temos que negar a ele a renda de que ele precisa”.

“Apertamos os oligarcas ao redor dele, apertamos sua economia. Então, nesse contexto, estamos pedindo ao maior número possível de países que se juntem a nós. Estamos pedindo isso de Israel também”, disse ela.

A respeito de se Israel deve fornecer ajuda militar à Ucrânia, Nuland disse que isso está nas mãos do governo israelense.

“Essa é uma decisão soberana para Israel. Muitas, muitas democracias do mundo estão saindo de sua zona de conforto para fornecer segurança e apoio militar à Ucrânia. Mas o mais importante do nosso ponto de vista agora é Israel aderir às sanções financeiras”, disse ela.

Israel forneceu ajuda humanitária à Ucrânia, incluindo equipamentos médicos e geradores para um hospital. No entanto, recusou-se a enviar equipamentos militares, incluindo equipamentos de defesa, como coletes à prova de balas e capacetes.

Como Israel evita impor sanções, o tráfego aéreo sugere que alguns russos ricos estão buscando refúgio em Israel. O Canal 12 informou na sexta-feira que nos últimos 10 dias, 14 jatos particulares que decolaram de São Petersburgo pousaram no Aeroporto Internacional Ben Gurion de Israel.

Na semana passada, a agência informou que um número incomum de jatos particulares alugados estão voando da Rússia para Israel desde a invasão da Ucrânia, uma possível indicação de que alguns russos ricos estão procurando maneiras de contornar as sanções.

Israel está na corda bamba entre Kiev e Moscou, e procurou usar suas relações com os dois países para fazer a mediação entre eles, até agora sem sucesso. Israel também teme irritar a Rússia devido à sua poderosa presença na Síria, onde Israel realiza ataques contra alvos ligados ao Irã.

A tentativa de Israel de permanecer neutro tornou-se cada vez mais preocupante nos últimos dias, à medida que o ataque da Rússia se intensifica, cobrando um preço humanitário impressionante contra seu vizinho.

A Ucrânia pressionou repetidamente Israel a tomar uma posição mais forte contra a Rússia e, segundo informações, está ficando exasperada com a relutância de Jerusalém em tomar um lado.

O presidente da Ucrânia Volodomyr Zelensky, que é judeu e um admirador declarado de Israel, espera transmitir um discurso ao plenário da Knesset, como fez em outros parlamentos no mundo, mas os planos para o discurso ainda não estão claros.

Em vez disso, Israel propôs que ele realizasse uma sessão Zoom menos formal com todos os deputados da Knesset convidados, informou Walla. O presidente da Knesset, Mickey Levy, disse na quinta-feira que Zelensky falará com os legisladores via Zoom nos próximos dias.

Na sexta-feira, o prefeito de Tel Aviv, Ron Huldai, disse que disse ao embaixador da Ucrânia em Israel que qualquer discurso feito por Zelensky aos israelenses poderia ser transmitido nas telas de uma grande praça da cidade.

Fonte: The Times of Israel
Fotos: Wikimedia Commons. Oligarcas russos

2 thoughts on “EUA pedem que Israel se junte às sanções à Rússia

Fechado para comentários.