Fechamento por três semanas é inevitável

O governo está reunido para discutir o aumento das restrições após o aumento da morbidade, e deve apoiar o fechamento recomendado pelo Ministério da Saúde.

Na proposta do Ministério da Saúde, o fechamento duraria três semanas e incluiria o fechamento de todo o comércio, incluindo salões de beleza e serviços individuais, limitando o deslocamento a uma distância de 1.000 metros de casa e fechando todo o sistema educacional.

A medida, se aprovada, deve entrar em vigor 48 horas após o término da reunião.

O principal debate no governo é em torno da questão da educação, com o dilema sendo se os jardins de infância permanecerão abertos e, se assim for, se em todo o país ou apenas nas cidades verdes. Além disso, pode haver objeções de ministros do governo sobre a data do fechamento.

LEIA TAMBÉM

Horas antes da convocação da reunião especial do gabinete, o coordenador do Gabinete do Corona, Prof. Nachman Ash, disse que “a situação requer um fechamento imediato” e acrescentou que “há um salto preocupante na morbidade”.

Ele disse que espera que o próximo fechamento, o terceiro, seja o último. “Espero que o público entenda que isso é importante e todos esperamos que seja o último. Quanto mais cedo o fizermos, mais curto será. Quanto mais esperarmos, será mais longo. É importante que seja curto”.

O diretor-geral do Ministério da Saúde, Prof. Hezi Levy, também disse o fechamento é inevitável em um futuro próximo, em vista da crescente morbidade e do desejo de pará-la. “Procuraremos fechar o comércio e retornar a um fechamento semelhante ao que ocorreu em Yom Kipur. Exigiremos o fechamento do sistema educacional. Eu tendo a recomendar deixar os jardins de infância abertos” concluiu Levy.

Foto: Alexey Bogoslavsky – אלכסיי בוגוסלבסקי (Wikimedia Commons)

2 thoughts on “Fechamento por três semanas é inevitável

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *