Gabinete se reúne para decidir início das aulas

O gabinete do coronavírus se reúne hoje e deve anunciar a data de início do novo ano letivo.

O gabinete está avaliando se deve começar o ano em 1º de setembro como de costume, adiar a abertura das escolas por alguns dias ou até depois do feriado. A perspectiva é que os pais com mais de 30 anos possam em breve receber uma terceira dose da vacina que reduzirá a propagação da doença entre crianças pequenas.

Na semana passada, o Diretor Geral do Ministério da Saúde, Nachman Ash, disse que se as taxas de infecção atuais não caírem “não haverá escolha a não ser atrasar o início do ano letivo”.

No entanto, acrescentou que há uma vantagem em iniciar o ano letivo em 1º de setembro, conforme pretendido atualmente, pois permitirá “experimentar todos os métodos que queremos introduzir, como testes rápidos, quarentena versus não quarentena, e ganhar confiança em testes sorológicos”.

Entre outras coisas, o gabinete irá discutir a imposição de restrições de passaporte verde às escolas, para evitar a entrada de professores não vacinados.

Cerca de 30.000 professores, assistentes e funcionários em jardins de infância e escolas não são vacinados. Isso é cerca de 10% dos funcionários em creches e escolas.

LEIA TAMBÉM

No domingo, 11.912 alunos e 1.324 professores foram confirmados como portadores do COVID-19, segundo dados do Ministério da Educação. Duas semanas atrás, 7.142 alunos e 777 testaram positivo para a doença. Entre os alunos com COVID-19, cerca de 36 por cento estão da sétima a décima segunda série e cerca de 60 por cento estão no ensino fundamental.

Uma campanha nacional para realização de teste de anticorpos entre crianças de 3 a 12 anos  começou, neste domingo, em todo o país, em uma tentativa de medir até que ponto o coronavírus se espalhou sem ser detectado entre as crianças no último ano e meio.

Presume-se que muitas crianças foram infectadas nos últimos dezoito meses, mas não apresentaram sintomas e, portanto, nunca foram diagnosticadas.

As autoridades israelenses esperam que uma proporção significativa de crianças de 3 a 12 anos, que atualmente não são elegíveis para vacinação, tenham anticorpos e, portanto, sejam elegíveis para um Passaporte Verde.

Isso as isentaria do isolamento obrigatório, caso sejam expostas a alguém com COVID, e de teste, que agora é obrigatório para entrar em locais de entretenimento e atrações. Elas serão capazes de manter sua rotina diária, incluindo a frequência à escola, e reduzirão a carga sobre os sistemas de educação e saúde.

Fontes: Haaretz e The Marker
Foto: Miriam Alster (Flash90)

One thought on “Gabinete se reúne para decidir início das aulas

Fechado para comentários.