Aulas recomeçam em 1º de setembro

O sistema escolar israelense será aberto conforme programado em 1º de setembro, mas nem todos os alunos estarão nas salas de aula. Muitos estudarão remotamente em casa, dependendo das taxas de coronavírus em suas cidades, disse o Gabinete do Primeiro Ministro na noite de segunda-feira.

Os alunos da 8ª à 12ª série que vivem em cidades “vermelhas” com alta infecção e onde pelo menos 70% dos alunos de sua classe não são vacinados terão que estudar online, decidiu o governo na segunda-feira.

O anúncio foi feito em conjunto pelo primeiro-ministro Naftali Bennett, o ministro da Saúde Nitzan Horowitz e a ministra da Educação Yifat Shasha-Biton. Eles disseram que os 70% dos alunos serão uma combinação dos alunos que são vacinados com aqueles que se recuperaram do vírus e que deram positivo para anticorpos contra ele.

Nas cidades vermelhas, onde 70% ou mais dos alunos são vacinados ou recuperados, o aprendizado presencial continuará.

As séries mais novas estarão sujeitas ao programa Magen Hinuch ou “Escudo de Educação”, que exige que os alunos não vacinados sejam testados todas as semanas nas escolas das cidades vermelhas e laranja para ajudar a detectar a infecção precocemente.

O Ministério da Saúde disse que vai rever a classificação da cor dos municípios todas as semanas.

O início das aulas está previsto para 1º de setembro, com o governo e o sistema educacional trabalhando para que isso aconteça. No entanto, na segunda-feira, o Diretor Geral do Ministério da Saúde, Nachman Ash, alertou novamente que “se não houver uma desaceleração na morbidade, chegaremos a uma situação em que deveremos adiar o início do ano”.

LEIA TAMBÉM

Na semana passada, os ministérios da Educação e da Saúde compartilharam seu plano de cinco níveis para manter as crianças seguras, que inclui testes sorológicos e rápidos de antígenos e o programa Magen Hinuch. Além disso, um plano especial de “Classe Verde” destina-se a permitir que os alunos permaneçam na escola se forem negativos para o vírus, mesmo depois de terem entrado em contato com um colega que foi descoberto infectado.

O Ministério da Educação disse que espera que cerca de 5.000 alunos sejam diagnosticados com coronavírus assim que o ano letivo começar. Uma semana após a reabertura das escolas haredi (ultraortodoxas), o Ministério da Educação relatou um salto de 130% no número de alunos haredi infectados em comparação com os dados do início do mês.

Os ministérios vão exigir que todos os alunos usem máscaras quase o tempo todo quando estiverem na escola aprendendo, exceto durante as aulas de educação física.

Bennett planeja fazer um forte esforço nas próximas duas semanas para vacinar mais crianças de 12 a 15 anos antes do início do ano letivo.

Atualmente, cerca de 38% desses alunos já foram vacinados.

Na sexta-feira, Horowitz disse que pressionaria para garantir que os alunos pudessem se vacinar na escola, contrariando as declarações fortes feitas pela ministra da Educação. O governo não concluiu as discussões sobre o assunto, mas as autoridades de saúde ligadas ao debate disseram que é provável que a vacinação seja oferecida antes ou depois da escola e, claro, com o consentimento dos pais.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: Avshalom Sassoni (Flash90)

2 thoughts on “Aulas recomeçam em 1º de setembro

Fechado para comentários.