Israel de olho no turista muçulmano

Pela primeira vez, Israel está se preparando para um fluxo de turistas muçulmanos.

Após a normalização das relações com os Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Marrocos e Sudão, espera-se um fluxo significativo e constante de turistas entre os países e, para isso o Ministério do Turismo de Israel e a indústria do turismo estão trabalhando duro para estar prontos para recebê-los e atender a seus gostos.

Ksenia Kobiakov, diretora de desenvolvimento de novos mercados do Ministério do Turismo de Israel, espera que dezenas de milhares de turistas cheguem após a reabertura dos céus. As estimativas são de que o número de turistas muçulmanos cresça ao longo dos anos, mas a materialização desta estimativa depende não apenas dos turistas do Golfo, mas de uma mudança na imagem de Israel como destino turístico para muçulmanos.

Alaa al-Ali, CEO de uma grande agência de viagens dos Emirados, também prevê um afluxo de turistas muçulmanos a Israel. “Minha expectativa nesta fase não é inferior a 10.000 passageiros por mês, inicialmente”, disse ela.

Enquanto a proibição do turismo estrangeiro fez com que grande parte da indústria do turismo fechasse, pelo menos temporariamente, o Ministério do Turismo de Israel está se preparando para esse novo perfil de turista. “Em primeiro lugar, é preciso entender o mercado, por isso fizemos nossa pesquisa”, disse Kobiakov.

LEIA TAMBÉM

Uma segunda etapa foi a criação de pontes entre as indústrias do turismo em ambos os países; por exemplo, foi realizada uma conferência via Zoom, da qual participaram centenas de funcionários de turismo dos Emirados e de Israel.

Kobiakov disse que já existem agências de viagens nos Emirados Árabes Unidos que estão vendendo pacotes de viagens de verão para Israel, embora ainda não tenha sido definida uma data para a reabertura de Israel ao turismo internacional.

Ênfase especial foi dada aos Emirados Árabes Unidos por causa de seu maior potencial estimado, e os Emirados podem esperar ver anúncios de Israel em seu país em breve. Além disso, os Emirados Árabes Unidos oferecem outro mercado para Israel: sua população majoritária de expatriados. Quase 90% da população do país do Golfo é estrangeira, e Kobiakov disse que eles estão sendo levados em consideração nas iniciativas de marketing direcionadas a eles também.

Noga Sher-Greco, diretora de turismo religioso do Ministério do Turismo de Israel, disse ao The Media Line que tem estado ocupada “mapeando locais e pontos de interesse para o turista muçulmano” e que o ministério pretende “examinar os locais um por um” e ver o que precisa ser feito para torná-los mais amigáveis ​​para o turista muçulmano. Isso pode ser conseguido, por exemplo, criando um novo conteúdo que seja mais relevante e adequado para o turista muçulmano, ou garantindo que haja explicações em árabe.

Sher-Greco diz que o país está repleto de arquitetura muçulmana e locais de importância histórica, como a Mesquita Branca em Ramla, cujas raízes remontam ao século 8; e a arquitetura mameluca na Cidade Velha de Jerusalém. Isso, além, é claro, de locais de importância religiosa.

O ministério já preparou um material detalhando com o que fazer e o que não fazer ao lidar com os turistas dos Emirados, para ajudar o setor de turismo israelense a evitar erros embaraçosos decorrentes de diferenças culturais.

Sher-Greco também disse que o ministério realizou um seminário sobre o Islã, turistas muçulmanos, os Cinco Pilares do Islã e locais islâmicos centrais para seus funcionários.

Fonte: Jerusalém Post_

Foto: Walid Al-Jasem, cantor emirati (Reprodução Twitter).

One thought on “Israel de olho no turista muçulmano

Fechado para comentários.