Israel prepara votação em tempos de pandemia

Dia 23 de março Israel volta às urnas pela quarta vez em dois anos. E as autoridades estão se preparando para um dia de votação diferente. Uma eleição no meio de uma pandemia.

O comitê eleitoral procurou o Ministério da Saúde para discutir como será o dia das eleições, mas nenhuma decisão foi tomada até o momento.

Apesar de mais de 50% da população estar vacinada, as diretrizes de saúde ainda estarão em vigor e o sistema eleitoral israelense é de baixa tecnologia. Os eleitores colocam um papel em um envelope e o depositam na urna. Para evitar fraudes, os eleitores normalmente só podem votar no local de votação designado, determinado pelo endereço listado em um cartão de identificação emitido pelo estado.

Em 2020, havia 10.631 locais de votação em todo o país, mas em 2021 esse número se expandirá para cerca de 15.000, de acordo com Comitê Central de Eleições. Isso inclui cerca de 3.000 pontos planejados para locais especiais, como lares de idosos, clínicas, hospitais ou outros em que podem estar doentes ou pessoas em quarentena, bem como estações de votação drive-thru, um conceito nunca antes experimentado em Israel.

Os drive-thrus provavelmente só estarão aberto para aqueles que estão doentes ou em quarentena, mas como não há como projetar quantas dessas pessoas haverá em 23 de março, ou onde estarão, o comitê está tendo que planejar com certa flexibilidade. A kupat cholim Clalit, a maior do país, está planejando instalar cabines de votação em clínicas em todo o país para eleitores que estão doentes ou em quarentena.

LEIA TAMBÉM

Os eleitores que desejam votar em um local especial não precisarão mostrar um atestado médico ou provar que estão em quarentena, portanto, a opção será tecnicamente para qualquer pessoa que não queira votar em seu local designado de votação. As outras 12.127 estações estarão em locais habituais em instalações públicas, como escolas e centros comunitários.

As estações de voto adicionais são necessárias devido às regras que reduzem o número de eleitores por cabine de voto de 800 para 650, para evitar filas ou aglomeração. Os locais de votação também terão menos cabines de votação para garantir que um grande número de pessoas não se reúna no mesmo prédio. Em cada local de voto, uma pessoa terá a tarefa de garantir o distanciamento social e, em muitos lugares, serão criadas entradas e saídas separadas para evitar o congestionamento.

Os eleitores deverão desinfetar as mãos duas vezes: na entrada do local de votação e antes de colocar a cédula no envelope. Os mesários serão protegidos por uma tela de plástico transparente e os eleitores deverão baixar as máscaras para fins de identificação.

Mais locais de votação e mais precauções significam mais trabalho e a comissão está lutando para contratar mais oficiais eleitorais para realizar e supervisionar o processo de votação e contagem, bem como para expandir sua equipe de observadores eleitorais antifraude, que usam câmeras corporais para documentar tudo, exceto o voto colocado no envelope.

Um dos maiores desafios enfrentados pelo comitê não está diretamente relacionado ao coronavírus e sim à necessidade de contar os votos mais rápido do que nunca.

Os apuradores normalmente têm sete dias para concluir a contagem das cédulas, incluindo votos de ausentes, que são em envelope duplo e requerem uma etapa extra de verificação.

Mas neste ano, a eleição está ocorrendo apenas cinco dias antes do início de Pessach, o que significa que, para todos os efeitos, o prazo real será domingo, 28 de março, e possivelmente até antes, já que as atividades do governo costumam encerrar ao pôr do sol e a véspera de Pessach geralmente não é um dia de trabalho normal.

Não apenas os apuradores terão menos tempo para computar os votos, mas também se espera que haja dezenas de milhares de cédulas de pessoas que votaram fora de seu local normal designado. Esses chamados votos de envelope duplo exigem uma etapa extra de verificação para garantir que a mesma pessoa não tenha votado também em sua cabine de votação designada e, portanto, demoram mais para serem contados.

One thought on “Israel prepara votação em tempos de pandemia

Fechado para comentários.