Regev aprovará retorno de 1.000 por dia

A Ministra dos Transportes, Miri Regev, anunciou esta noite (terça-feira) que pretende permitir que apenas mil israelenses retornem a Israel do exterior todos os dias, apesar da decisão do Gabinete que aprovou o retorno de até 3.000 passageiros por dia.

De acordo com o ministério, isso visa garantir “efetividade da fiscalização”, mas acredita-se que a limitação se deva ao fato de o estoque de pulseiras eletrônicas estar limitado pela sua produção, e o fornecimento existente ser suficiente para poucos milhares.

Segundo dados do Ministério dos Transportes, dezenas de milhares de israelenses estão no exterior e a expectativa é que a grande maioria aproveite a extinção do Comitê de Exceções para retornar a Israel. Ampliar o uso de pulseiras eletrônicas exigirá legislação especial.

A Supercom, empresa que fornece as pulseiras, se prepara para aumentar o ritmo de produção desde o pedido do Ministério da Saúde para o fornecimento das primeiras cem pulseiras na última quarta-feira.

LEIA TAMBÉM

Desde a eclosão da epidemia de corona, há cerca de um ano, a empresa israelense tem tido alta demanda por seus produtos, incluindo algemas eletrônicas para prisioneiros. Isso se deve em parte à decisão de vários países de permitir a liberação de presos com baixo nível de risco para prisão domiciliar, reduzindo assim a superlotação nas prisões e reduzindo o risco de infecção e morbidade nas mesmas.

Principais decisões do Gabinete

* 3.000 israelenses terão permissão para entrar todos os dias pelo aeroporto Ben Gurion a partir de domingo

* Retornados do exterior serão necessárias para isolamento doméstico, mesmo os vacinados e recuperados

* Os hotéis de isolamento estarão em operação para os cidadãos que não podem manter o isolamento doméstico

* A aplicação do isolamento entre repatriados do exterior terá precedência sobre a aplicação do público em geral

* 660 funcionários públicos serão designados como inspetores para a polícia com o objetivo de garantir o isolamento

* Serão promovidos meios tecnológicos, como um aplicativo de rastreamento (com consentimento) para repatriados do exterior

* Cidadãos imunizados poderão deixar Israel sem restrições

* O Comitê de Exceções será significativamente reduzido e a maioria de suas atividades será extinta

Mais cedo, o Gabinete Corona aprovou a abertura do Aeroporto Ben Gurion para pousos e decolagens de civis. Os ministros foram apresentados a um plano aperfeiçoado em relação ao que foi formulado no último dia para a entrada e saída do país a fim de permitir, entre outras coisas, que os israelenses votem nas eleições em cerca de três semanas.

O plano inclui uma redução significativa do Comitê de Exceções, que até agora aprovava o movimento de cidadãos de e para Israel. As regras definidas serão submetidas à aprovação do governo.

Ficou definido que os retornados do exterior serão obrigados a ter isolamento domiciliar, mesmo os vacinados e recuperados, e que terão que realizar testes de corona antes de embarcar no avião.

Também foi decidido manter os hotéis para aqueles que não podem manter o isolamento em casa. A Polícia de Israel será responsável pelo cumprimento do isolamento e dará prioridade ao reforço do isolamento dos repatriados do estrangeiro.

Além do Aeroporto Ben Gurion, foi decidido que o Aeroporto Ramon, perto de Eilat, também estaria qualificado para receber repatriados do exterior.

Foto: PESP (Wikimedia Commons)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *