Os desafios da abertura do aeroporto

Um ano após a crise da Corona, Israel parece estar enfrentando um de seus maiores desafios. Se o governo aprovar a chegada a Israel de dezenas de milhares de israelenses que estão no exterior, o sistema de absorção de passageiros terá que funcionar muito bem, a fim de combater a entrada de novas mutações e garantir que as pessoas sejam enviadas para o isolamento em uma das formas propostas. E tudo isso em um processo muito rápido que ainda não foi tentado.

Estima-se que existam cerca de 25 mil israelenses tentando voltar, mas segundo a ministra dos Transportes, Miri Regev, o número é muito maior. O número de pedidos de entrada para Israel recebidos pelo Comitê de Exceções nas últimas semanas é de cerca de 21.000, mas de acordo com a Autoridade de População, o número de israelenses atualmente no exterior é de 170.000, e o estado terá de lidar com a entrada de muitos passageiros.

Atualmente, Israel aceita passageiros de dois centros: o aeroporto de Frankfurt e o aeroporto JFK de Nova York. Os dois aeroportos servem como um importante centro de tráfego de passageiros, o primeiro de e para a Europa e o segundo para as Américas. Trabalhar com esses dois centros facilita muito a capacidade do estado de auditar e controlar os processos de embarque de passageiros e verificar se eles apresentam os testes e aprovações exigidos.

Se todos os israelenses puderem chegar, provavelmente será feito a partir de dezenas de aeroportos diferentes. Daí decorre também a questão do limite do número de passageiros, não por causa da capacidade do Aeroporto Ben Gurion para lidar com o número de passageiros, mas para verificar todas as exigências para a entrada no país.

LEIA TAMBÉM

Hoje às 16:35, o voo IZ 232 da Arkia, proveniente de Frankfurt, deve pousar em Israel. Este voo será o primeiro teste das pulseiras de rastreamento eletrônico para quem entrar no país. Cem passageiros terão que deixar um depósito entre NIS 1.500 e 2.000 e serão equipados com um kit, que inclui uma pulseira de rastreamento que irá garantir que eles fiquem em isolamento domiciliar em vez de ficar em um hotel.

Se muitos passageiros não responderem à iniciativa da pulseira eletrônica, os diversos hotéis terão que estar preparados para o recebimento de dezenas de passageiros. Atualmente, 25 hotéis participam do sistema de hotel-corona, com dez mil leitos.

Foto: ProtoplasmaKid (Wikimedia Commons). Agosto, 2011.

4 thoughts on “Os desafios da abertura do aeroporto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *