Ministros aprovam plano para reabertura de shoppings

Os ministros aprovaram na quarta-feira um plano piloto para abrir 15 shoppings em todo o país, enquanto Israel continua a emergir de seu segundo bloqueio nacional por coronavírus, mesmo com a disseminação do vírus parecendo estar se acelerando.

Os mercados ao ar livre e alguns museus também poderão reabrir como parte do plano piloto, que visa testar a eficácia das diretrizes de segurança contra o vírus.

O chamado gabinete do coronavírus aprovou o plano, que foi apresentado pelo Ministério da Fazenda e pelo Ministério da Economia e Indústria, pouco depois da meia-noite de quarta-feira.

Os shoppings provavelmente terão permissão para reabrir na sexta-feira e permanecerão abertos até 6 de dezembro. Os proprietários do shopping pressionaram para que as lojas abrissem na sexta-feira para aproveitar as vendas da Black Friday.

Durante o programa piloto, os shoppings serão obrigados a observar os regulamentos do Ministério da Saúde no rastreamento do atendimento, acompanhamento do cumprimento das regras de vírus e limitação das aglomerações. A reabertura serão acompanhadas por fiscais do Ministério da Saúde.

LEIA TAMBÉM

Os lojistas e funcionários passarão por treinamentos especiais. Lojas essenciais, como farmácias e supermercados, poderão admitir mais clientes do que lojas não essenciais.

Proprietários ou operadores de shopping que violarem as diretrizes serão multados em NIS 5.000 (US$ 1.500) por cada infração.

No final do programa, as autoridades tirarão conclusões sobre a segurança da reabertura de shoppings e decidirão quando e como os shoppings em Israel serão reabertos. Os critérios serão baseados no cumprimento dos limites de ocupação, uso de máscaras e prevenção da formação de aglomerações nas entradas dos shoppings e lojas.

Seis dos shoppings já foram selecionados, e os nove restantes serão sorteados, como justiça com proprietários e público.

Os seis shoppings já aprovados para o piloto pertencem a duas das principais operadoras de shopping centers de Israel, o Grupo Azrieli e Ofer, que abrirão três shoppings cada. Os nove shoppings restantes não pertencerão a essas empresas e estarão espalhados pelo país.

Os seis shoppings já liberados para o piloto estão em Jerusalém, Haifa, Kiryat Bialik, Ramat Gan, Petah Tikva e Beersheba.

Os mercados ao ar livre também poderão reabrir, com os atendentes nas entradas garantindo o distanciamento social, o uso de máscaras e a limitação do número de pessoas admitidas. Restaurantes não será permitidos em mercados ou shoppings.

O Ministério da Saúde também decidiu reabrir quatro museus – o Museu de Israel em Jerusalém, o Museu de Arte de Tel Aviv, o Museu Eretz Israel em Tel Aviv e o Museu Nacional de Ciência, Tecnologia e Espaço de Israel em Haifa.

Outros três museus, em diferentes áreas do país, serão escolhidos para reabertura por sorteio.

Na semana passada, alguns shoppings em Israel foram abertos em uma rebelião contra as regras de bloqueio em meio à frustração generalizada entre os proprietários de lojas contra as políticas do governo que mantinham os shoppings fechados.

Os shoppings estão fechados – exceto as lojas essenciais dentro deles – desde meados de setembro segundo as regras de bloqueio. As lojas de rua puderam reabrir no início deste mês, com um limite para o número de clientes, que foi aumentado de quatro para dez na quarta-feira.

A abertura inicial das lojas atraiu multidões de compradores que, em muitos casos, ignoraram o distanciamento social enquanto esperavam na fila para entrar nas lojas.

Oficiais de saúde do alto escalão alertaram repetidamente sobre a necessidade de um possível terceiro bloqueio nacional em Israel para conter o coronavírus, alertando contra a flexibilização das restrições até uma queda significativa nas infecções.

Números do Ministério da Saúde divulgados na noite de quarta-feira mostraram 9.168 pacientes ativos no país, um nível não visto em quase três semanas. Do total de casos ativos, 285 estão em estado grave.

Desde o início do surto no início deste ano, 331.915 pessoas foram diagnosticadas com o coronavírus. Houve 2.826 mortes.

Israel impôs um bloqueio de um mês em 18 de setembro, que conseguiu reduzir as taxas de infecção, mas também paralisou grande parte da economia e da vida pública, além de fechar todo o sistema educacional. Desde então, o governo começou a suspender as restrições, mas as autoridades de saúde deram alarmes quando a queda nas taxas de infecção primeiro diminuiu e depois foi revertida.

Foto: Danbus43Maalit72 (Wikimedia Commons)

3 thoughts on “Ministros aprovam plano para reabertura de shoppings

Fechado para comentários.