Os 10 pecados do olê chadash

Por Hayim Makabee

Nos últimos anos, trabalhando como voluntário, pude acompanhar as dificuldades de dezenas de famílias que fizeram Aliyah. Baseado nesta experiência, trago aqui uma lista dos 10 principais “pecados” do Oleh Chadash.

Pecado 1) Não se preparar antes de fazer Aliyah

O primeiro pecado já começa antes da Aliyah: Muitas pessoas não se preparam como deveriam. O Oleh não deve esperar pelo Ulpan para comecar “do zero”, o certo é estudar hebraico antes de sair do Brasil e chegar aqui já com um vocabulário básico. Também é importante estudar a geografia de Israel, aprender onde ficam as principais cidades e as distâncias entre elas. O futuro Oleh deve se informar o máximo possível sobre a realidade israelense, e já chegar ao país sabendo quanto vale o salário mínimo, quanto custa o aluguel e que tipo de trabalho vai poder fazer. É preciso fazer contato com pessoas que fizeram Aliyah recentemente e tirar dúvidas com elas, por exemplo, nos grupos de Olim no Facebook. Não tem motivo para o Oleh Chadash ter surpresas desagradáveis aqui em Israel.

Pecado 2) Parar de estudar hebraico quando termina o Ulpan

Um erro muito comum entre os Olim é parar de estudar hebraico quando terminam o Ulpan. É preciso entender que o Ulpan serve apenas para dar uma base inicial. Dependendo da idade, os Olim podem demorar anos para realmente dominar o idioma. E evidentemente sem hebraico, o Oleh não vai ter acesso a boas oportunidades de emprego. Mais importante do que isso, na minha opinião, sem dominar o idioma, o imigrante não se sente bem no novo país, pois continua sempre se sentindo um estrangeiro. Então, o certo é que os Olim, ao terminarem o Ulpan, continuem estudando hebraico e se esforçando para aumentar seu vocabulário o máximo possível.

Pecado 3) Morar em cidades caras “para ficar perto dos amigos”

Muitos Olim escolhem o lugar de sua moradia “para ficar perto dos amigos”, e não compreendem os custos. Aqui em Israel, os preços variam muito de uma cidade para outra. A maioria dos brasileiros que fazem Aliyah vem com poucos recursos financeiros, que não devem ser desperdiçados. O Oleh Chadash não pode gastar suas economias com moradia em cidades caras. Da mesma maneira que no Brasil, uma pessoa que ganha salário mínimo não pode morar no Leblon ou Higienópolis, aqui em Israel uma família que ganha salário mínimo não deve viver em Raanana. Infelizmente famílias estão se endividando para manter um padrão que não podem ter.

Pecado 4) Tentar manter em Israel o estilo de vida brasileiro

Todo imigrante deve ter consciência de que precisa se adaptar ao novo país que escolheu. Isto significa não insistir em manter em Israel o estilo de vida brasileiro. Por exemplo, o Oleh Chadash deve mudar seus hábitos alimentares, e comer carne com menos frequência. Também, é importante se acostumar a usar transporte público. Muitos Olim precisam aprender a fazer tarefas domésticas que antes não faziam, como cozinhar e fazer faxina. Finalmente, eu recomendo evitar assistir televisão brasileira em Israel. Para conseguir se adaptar, o Oleh deve ter como exemplo os israelenses, abandonando hábitos do Brasil.

Pecado 5) Se isolar na comunidade brasileira em Israel

Infelizmente muitos Olim se isolam na comunidade brasileira em Israel, formando um verdadeiro gueto virtual. Essa falta de contato com os israelenses causa muitos danos e prejudica gravemente o processo de adaptação do Oleh Chadash. Sem amigos israelenses, o Oleh não pratica hebraico, não compreende a mentalidade israelense e não conhece a cultura do país. É natural no começo se juntar com outros Olim, mas a longo prazo isso prejudica muito a adaptação no país. Recomendo a todos se esforçarem para ter amigos israelenses, o que certamente será uma experiência enriquecedora além de muito útil.

Pecado 6) Aceitar qualquer sub-emprego

Muitas vezes os Olim ficam desesperados para ter alguma fonte de renda a acabam tomando o primeiro emprego que aparece. Assim, de repente, vemos pessoas de idade avançada fazendo trabalhos físicos que nunca fizeram na vida. O Oleh aceita um emprego que não tem condição de fazer, aguenta por pouco tempo e acaba se demitindo ou sendo demitido. Em alguns casos, chega mesmo a prejudicar a sua saúde. É preciso saber que, para ganhar salário mínimo existe uma grande diversidade de empregos, que não exigem necessariamente um grande desgaste físico e emocional. Tem que fazer contatos, se informar bem e procurar com calma.

Pecado 7) Parar de buscar emprego quando já esta trabalhando

Um erro grave dos Olim é parar de buscar emprego quando já estão trabalhando. Na grande maioria dos casos, o primeiro emprego que o Oleh consegue está muito abaixo de suas qualificações, apenas pelo fato que ele ainda não domina o idioma. A tendência natural é o Oleh continuar a melhorar o seu hebraico e assim, ter acesso a melhores oportunidades no futuro. Os primeiros empregos devem sempre ser considerados temporários, até que apareça uma outra vaga mais apropriada. Felizmente, a economia israelense está muito bem, o índice de desemprego é muito baixo, e existe uma fartura de ofertas de emprego em todas as áreas.

Pecado 8) Acompanhar obsessivamente as notícias do Brasil

Eu observo que muitos Olim acompanham obsessivamente as notícias do Brasil. Talvez isto seja absolutamente natural, mas na minha opinião é prejudicial. Infelizmente, as notícias que recebemos do Brasil são péssimas, causando angustia e preocupação com nossas famílias e amigos que ainda vivem lá. Muitos Olim também deixaram propriedades e negócios no Brasil. Mesmo assim, eu acho importante tentar se desligar dos problemas no Brasil e viver mais a realidade israelense, que também é bastante complexa. Recomendo a todos os novos Olim se interessar mais pelas notícias em Israel, e menos pelo que se passa no Brasil.

Pecado 9) Levar para o lado pessoal as diferenças culturais

Um erro gravíssimo da maioria dos Olim é levar para o lado pessoal as diferenças culturais. A mentalidade dos israelenses é muito diferente da brasileira, o que causa situações desagradáveis para os novos Olim. Mesmo que você acha que está sendo mal tratado, isto não é pessoal. Se o seu vizinho não te disse “bom dia”, isso não significa que ele não gosta de você. Aqui em Israel nem sempre é necessário dizer “por favor” e “com licença”. As pessoas são mais diretas, e também menos delicadas. O Oleh deve se esforçar para compreender as diferenças culturais entre Brasil e Israel, buscando se adaptar ao país sem traumas.

Pecado 10) Não entender que as dificuldades são temporárias

Acompanhei dezenas de famílias de Olim nos últimos anos, assim posso falar com perspectiva: Não se desespere, as dificuldades sao temporárias. A tendência sempre é melhorar, quando o Oleh tiver mais domínio do idioma. Aos poucos, o Oleh se acostuma com o estilo de vida israelense, abandona alguns hábitos antigos e adota novos costumes mais apropriados a nossa realidade. As saudades diminuem, o Oleh adquire uma nova rotina e faz novos amigos. Não pense no que você deixou para trás. Pense que você é um pioneiro, abrindo caminho para sua família e amigos, que estão todos torcendo para você se dar bem aqui em Israel.

One thought on “Os 10 pecados do olê chadash

  • 5 de abril de 2019 em 17:43
    Permalink

    Gostaria de compartilhar com voces que existe uma lista telefonica de brasileiros em israel
    Para receber a lista e ser incluso mande um e-mail para shoshana5772@gmail.com
    Bem vindos a todos

Fechado para comentários.

%d blogueiros gostam disto: