10 dicas para gastar menos em Israel

Onde a vida é mais cara? No Brasil ou em Israel?

É bastante comum os novos Olim (imigrantes) reclamarem do custo de vida em Israel. Realmente, muitos produtos são mais caros em Israel do que no Brasil, como por exemplo carnes e laticínios. Mas existem diversas formas de comparar os gastos nos dois países.

Em primeiro lugar, eu recomendo comparar o total de gastos da família. Se por um lado, muitos produtos e serviços são mais caros em Israel, por outro lado muitos gastos importantes simplesmente desaparecem quando a família faz Aliyah. Qual é o segredo?

Em Israel, pode-se utilizar os serviços públicos! Isto significa que seus filhos poderão estudar em uma escola pública, que você poderá utilizar os serviços de saúde pública, e que os transportes públicos são de qualidade. Os impostos em Israel são altos, mas temos um retorno.

No Brasil, na prática, paga-se tudo em dobro: pagam-se os impostos e pagam-se os serviços particulares. Uma escola particular no Rio de Janeiro ou em São Paulo pode custar milhares de Reais por mês. O plano de saúde para toda a família no Brasil também chega a custar milhares de Reais. Os impostos no Brasil são caros, mas não se pode utilizar os serviços públicos.

Fora isso, existem gastos em Israel que são muito inferiores aos do Brasil, como por exemplo, o condomínio dos edifícios. Aqui em Israel não é necessário manter uma equipe de porteiros, faxineiros e garagistas trabalhando 24 horas por dia.

Resumindo: Não compare os preços de produtos e serviços específicos. Compare sim o total de gastos de sua família.

 

Custo Relativo

(Este post foi escrito em Janeiro/2017)

Outra forma de comparar os preços entre Brasil e Israel, é observar os custos relativos, e não os valores absolutos. Isto significa perguntar: quantas horas eu preciso trabalhar para adquirir este produto?

O salário mínimo no Brasil é de 880,00 Reais (que equivale aproximadamente a 1,060.00 Shekels).

O salário mínimo em Israel é de 5,000.00 Shekels (que equivale aproximadamente a 4.155,00 Reais).

Digamos que um produto custe 100 Reais no Brasil e 240 Shekels em Israel. Comparando valores absolutos, poderíamos afirmar que este produto custa em Israel o dobro do que custa no Brasil (pois 1 Real vale 1.2 Shekels). Porém, devemos comparar os valores relativos ao salário:

No Brasil, 100 Reais representam 11.4% do salário mínimo.

Em Israel, 240 Shekels representam 4.8% do salário mínimo.

Quantas horas de trabalho são necessárias para adquirir este produto? Supondo que trabalha-se 22 x 8 = 176 horas por mês:

No Brasil, 100 reais representam 20 horas de trabalho (ganhando salário mínimo).

Em Israel, 240 shekels representam 8.5 horas de trabalho (ganhando salário mínimo).

Então, comparando o preço relativo, este produto que parecia custar o dobro em Israel, na verdade custa menos da metade!

Resumindo: não compare os valores absolutos de produtos e serviços. Compare sim o custo relativo ao seu salário, ou em outras palavras, quantas horas você precisa trabalhar para pagar por estes produtos e serviços.

 

Dicas para gastar menos em Israel

É muito interessante analisar a forma correta de comparar gastos, mas isso não ajuda a pagar as contas no final do mês. Então, apresento abaixo uma lista de dicas para você gastar menos em Israel:

  1. Mudar hábitos alimentares: Consuma menos carnes e laticínios, compre mais frutas, legumes e verduras. Siga o exemplo dos israelenses: coma saladas no verão e sopas no inverno. Sai muito mais barato e também é mais saudável.
  2. Aprender a cozinhar: Evite comprar comida pronta e aprenda a cozinhar. Mesmo enlatados e congelados são muito mais caros do que pratos preparados com ingredientes frescos. Cozinhar pode também se tornar um excelente hobby para você.
  3. Comer menos em restaurantes: Ao invés de ir a restaurantes, convide amigos para jantar na sua casa. Receber amigos em casa é um excelente hábito israelense que não é tão comum no Brasil. Sai muito mais barato que ir a restaurantes e também é mais divertido.
  4. Fazer estoques de produtos aproveitando promoções: Aproveite as promoções no supermercado para estocar produtos não-perecíveis. Por exemplo: óleo, arroz, enlatados, produtos de limpeza e de higiene pessoal devem ser comprados em promoções.
  5. Comprar roupas apenas em liquidações: Nunca compre em Israel uma peça de roupa se não estiver em oferta. Espere as liquidações de fim-de-estação para comprar roupas, calçados e acessórios pela metade do preço.
  6. Comprar em outlets: Em Israel são muito comuns os outlets, que vendem produtos de ponta-de-estoque por preços muito inferiores aos dos shopping centers. Evite fazer compras nos grandes shoppings onde as lojas pagam uma fortuna de aluguel.
  7. Comprar móveis que foram expostos: Nas lojas de móveis você pode encontrar grandes descontos para móveis que já foram expostos na loja (em hebraico, “tetsuga”). Um sofá que foi exposto pode custar metade de um sofá novo.
  8. Comprar parcelado sem juros no cartão de crédito: A maioria das lojas em Israel oferece a opção de pagar parcelado sem juros no cartão de crédito. Para valores altos, aceitam ate mesmo 24 ou 36 pagamentos sem juros. Aproveite!
  9. Utilizar transporte público: Em Israel o transporte público e seguro e de qualidade. Aqui você não vai ser assaltado no ônibus, nem vai viajar de pé no trem. Aprenda a usar o transporte público e compre um passe-livre mensal (em hebraico, “chofshi chodshi”).
  10. Morar em bairros mais baratos, porém bem localizados: Escolha para morar um bairro mais barato mas que seja bem localizado e com acesso fácil a estradas e transporte público. Em uma mesma cidade, os preços podem variar muito dependendo do bairro.

Obviamente as dicas acima são direcionadas principalmente aos novos imigrantes. Olim que depois de alguns anos em Israel já estão bem estabelecidos, quando já dominam o hebraico, naturalmente vão ganhar salários mais altos e ter um padrão de vida similar aos israelenses.

Espero que estas dicas ajudem a sua família a equilibrar o orçamento em Israel. Que vocês tenham menos preocupações com as despesas para que possam usufruir melhor o privilégio de viver em Israel.

Boa sorte!

2 comentários em “10 dicas para gastar menos em Israel

  • 5 de janeiro de 2020 em 21:21
    Permalink

    Como funciona os intercâmbios culturais para mestrado e ou doutorados sênior?

    Resposta
  • 9 de março de 2020 em 11:26
    Permalink

    A matéria está de parabéns, tem verdades e conselhos muito bons, porém… existe o outro lado da moeda e não é em vão que os olim, os israelenses, os turistas também reclamem que Israel é caro demais: é o 8º país mais caro do mundo: não dá pra fugir disso! Japonês, aqui, fica de cabelo em pé com os preços e olha que eles têm um salário no mínimo o triplo do israelense!

    1. Eu moro num “studio”, num prédio que tem elevador e portaria, pronto meu condomínio é NIS600 – mais caro que seria no Brasil. Tem condomínio bem mais barato que no Brasil, sim, nos prédios caindo aos pedaços sem portaria, sem porta, sem nada, só uma lâmpada na entrada e uma passa de pano nas escadas.
    2. A saúde, erroneamente, chamada de “pública em Israel” é bem paga, do meu salário saem NIS600 só pra “kupah” todo mês, mais o dobro disso pra Bituach Leumi, que não vai me possibilitar parar de trabalhar quando da aposentadoria, também sou obrigado a contribuir para seguros de aposentadoria senão já viu né; acho bom os olim começarem a aprender hebraico apartir de seus “tlushei mascoret… além disso, remédios são pagos, taxa disso, mais taxa daquilo na hora da necessidade, esqueceu a Tofes 17, ou paga ou vai buscar e perde a cirurgia!
    3. Já deram uma olhada nos preços dos imóveis? A grande maioria dos olim jamais terá a alegria de dizer: “esse apartamento de 40m2 é meu!”.
    4. Uma das coisas que mais se vê é morador daqui quebrando a cabeça pra descobrir um jeito de se locomover no Shabbat sem ter que pagar 200-300 de taxi. Eu sempre aoxcnselho meus amigos de Jerusalmém a virem me visitar a pé, afinal é uma descida… ou de bicicleta ou pedindo carona!
    5. E pra não tornar o texto longo demais e todo mundo começar a me xingar, eu vejo duas grandes vantagens de se viver em Israel para um brasileiro: a quase absoluta inexistência de violência urbana, não sei por que cargas d’água eu sempre pago por “roubo” no seguro do meu carro (ah… seguro de carro em IL = preços do Brasil) e a segunda é que aqui velho trabalha, na minha empresa tem a “seção asilo” e eles são excelentes trabalhadores, eu diria que dariam uma aula de moral nos mais jovens – eu já to quase me incluindo nesse grupo…

    Entre viver no Brasil e aqui, aqui mil vezes, mas não apoio de forma alguma prometer para o oleh um mar de rosas e eu luto muito para manter o Oleh aqui, só que falando a verdade – comigo ninguém que me pede conselho depois vai me meter o dedo na cara e me dizer: “mas você falou que era um paraíso sem defeitos, sem problemas: …

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *