Meus dois segredos para aprender hebraico em seis meses

Vim para Israel em 1992, com a intenção de fazer mestrado no Technion em Haifa, imediatamente depois de me formar em Informática pela UFRJ. Os primeiros 6 meses passei em um Kibutz, fazendo Ulpan (estudos de hebraico). Era um verdadeiro desafio para mim: comecei a estudar hebraico no nível mais básico (Aleph) e em apenas meio-ano, teria que me tornar capaz de assistir aulas em hebraico em uma das mais exigentes universidades de Israel!

Gracas a D’us e com muito esforco, consegui. O meu primeiro semestre no Technion foi muito difícil, mas obtive boas notas. No segundo semestre, depois de apenas um ano em Israel, já trabalhava como professor assistente e dava aulas em hebraico, para alunos israelenses mais velhos do que eu (eles tinham feito 3 anos de exército antes de começar seus estudos). Vou aqui contar meus 2 segredos de como aprendi hebraico tão rápido.

 

Primeiro Segredo: Aprenda as Raízes das Palavras

A maior dificuldade de aprender o hebraico é adquirir o vocabulário, muito diferente do português. A maneira errada de aprender hebraico é tentar memorizar centenas de novas palavras fora de contexto. A maneira certa, é aprender a identificar a raiz de cada palavra, saber o significado de cada raiz e conhecer a família de palavras que tem a mesma raiz.

Essa técnica me foi ensinada por um professor de matemática aposentado que vivia no Kibutz onde estudei. Ele me explicou que o hebraico era uma lingua extremamente lógica e racional, com regras relativamente simples. Me mostrou como era possível pegar uma raiz, formada por 3 letras, e criar diversas palavras usando fórmulas bem definidas.

É claro que não tenho intenção de ensinar hebraico neste artigo. Apenas quero introduzir esta abordagem simples para aumentar o vocabulário:

1 – Aprenda uma nova raiz (conjunto de 3 letras).

2 – Aprenda a família de palavras que usam essa raiz.

Da mesma forma, é possível aplicar essa abordagem ao contrário cada vez que encontramos uma palavra desconhecida:

1 – Identifique a raiz da palavra.

2 – Pense em que outras palavras você já conhece com essa raiz.

Assim, é possivel aumentar o vocabulário mesmo sem a ajuda de um dicionário.

 

Segundo Segredo: Imersão Total

Para aprender a falar hebraico é preciso praticar. Mas não é suficiente praticar um pouco ou apenas quando você precisa. É preciso criar situações onde você se força a falar hebraico. Isto é o que chamo de imersão total: estar em um ambiente onde você não tem outra opção, a não ser falar hebraico.

Quando estava no Kibutz tinha muitos colegas russos. Naquela época, eles não sabiam falar inglês e nem nenhum outro idioma fora russo. Isto foi ótimo para mim. A minha única maneira de me comunicar com eles era falando hebraico.

Depois de uns 2 meses no Ulpan, quando já tinha um hebraico básico, comecei a fazer amizade com os jovens Kibutznikim israelenses. Novamente, falava com eles apenas em hebraico, apesar de que a maioria falava inglês.

Nos meus primeiros 6 meses em Israel nao falei português. Para a minha sorte, não tinha nenhum brasileiro no Kibutz. Falei um pouco de portunhol com uns colegas argentinos. Mas a maior parte do tempo falei apenas hebraico.

Eu soube que estava assimilando o idioma quando tive o meu primeiro sonho em hebraico. Depois de alguns meses no Ulpan, sonhei que estava falando em hebraico com a minha avó. Acordei super contente.

Então, se você está em Israel tentando aprender hebraico, mas fala em inglês com as pessoas nas ruas e todos os seus amigos são brasileiros, você está cometendo um erro gravíssimo. Assim ninguém aprende!

Fale em hebraico, mesmo que você saiba que esta falando errado. Não tenha vergonha! Os israelenses estão acostumados com os novos Olim que ainda tem dificuldades com o idioma.

Boa sorte!

Um comentário em “Meus dois segredos para aprender hebraico em seis meses

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *