“Temos mais de 10.000 homens-bomba dentro de Israel”

Os ataques de foguete mais recentes do Hamas no sul e centro de Israel foram “apenas um ensaio geral. Al-Aqsa é uma linha vermelha”, disse Yahya Sinwar, o líder do grupo terrorista em Gaza, em seu primeiro discurso desde que o cessar-fogo entrou em vigor.

“Esta é apenas uma pequena manobra para a próxima vez”, disse ele em um aviso aos judeus de que o Monte do Templo é um local islâmico. O Monte do Templo é o local mais sagrado do Judaísmo e o terceiro mais sagrado do Islã, depois de Meca e Medina.

“O inimigo e o mundo devem saber que este foi apenas um ensaio geral, uma pequena manobra, que mostra o que poderia acontecer se Israel tentar fazer algum mal à al-Aqsa novamente.

Sinwar parabenizou os árabes israelenses e os residentes de Jerusalém Oriental, que se revoltaram e realizaram ataques contra judeus, por assumirem a luta.

“Dentro de Israel, temos mais de 10.000 homens-bomba, no caso de Israel tentar fazer mal a al-Aqsa”, cada um deles realizará um ataque de facada ou choque com o carro, disse ele.

LEIA TAMBÉM

O Hamas “tem a capacidade de lançar centenas de mísseis por minuto em alcances de 100 e 200 quilômetros. Temos mais de 500 km de túneis na Faixa de Gaza, dos quais 100 km foram destruídos”, disse ele, acrescentando que levaria apenas alguns dias para reconstruí-los.

“O Hamas queria acabar com a guerra disparando 300 mísseis contra Gush Dan [a grande área de Tel Aviv]”, mas decidiu não disparar devido a “intervenção do Egito, Qatar e mediadores internacionais”.

Ao contrário do que foi dito pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, o ministro da Defesa Benny Gantz e outros oficiais de segurança israelenses, Sinwar afirmou que “os ataques israelenses não atingiram a infraestrutura das facções em Gaza. Falharam no plano de danificar as capacidades de resistência e destruir os túneis … O plano de Israel para a vitória terminou em grande fracasso …”

“A ocupação não conseguiu destruir o metrô do Hamas ”, disse ele, referindo-se aos túneis do terror. “A ocupação não rendeu nada”.

Sobre o cessar-fogo, Sinwar disse que não há acordo.

Ele também criticou o secretário de Estado dos EUA, Blinken, que esteve na região, por tentar fortalecer a parceria dos Estados Unidos com a Autoridade Palestina às custas do Hamas. Em uma coletiva de imprensa em Jerusalém na noite de terça-feira, Blinken prometeu uma “contribuição significativa” para a reconstrução de Gaza, dizendo que o governo Biden trabalharia duro para “garantir que o Hamas não se beneficie da assistência à reconstrução”.

Sinwar disse que o Hamas tem ampla assistência militar de outros países.

Fonte: World Israel News
Foto: Abed Rahim Khatib (Flash90)

2 thoughts on ““Temos mais de 10.000 homens-bomba dentro de Israel”

Fechado para comentários.