Atualmente no mundo vivem 15,2 milhões de judeus

Por David S. Moran

Na véspera do ano novo judaico de 5782, a Agência Judaica publicou o estudo do Prof. Sergio Della Pérgola, da Universidade Hebraica de Jerusalém, sobre o número de israelitas (judeus) no mundo todo. Este inclui aqueles que se declaram judeus e não tem outra religião e não inclui os que se declaram “parcialmente judeus”.

Segundo a pesquisa, atualmente vivem no mundo 15,2 milhões de judeus, com pequeno crescimento em relação ao ano passado, quando foram 15,1 milhões. O maior número de judeus vive em Israel – 6.930.000, passando os Estados Unidos, que têm 6 milhões. Isto, mesmo depois da correção e aumento em cerca de 300 mil judeus americanos, aceitando o censo do Instituto Pew, de 2020.

Outros países com grandes populações judaicas são: França 446.000, Canada 393.500, Reino Unido 292.000, Argentina 175.000, Rússia 150.000, Alemanha 118.000, Australia 118.000, Brasil 91.500, África do Sul 52.000 e a Hungria com 47.000.

Vale a pena relembrar que antes da 2ª Guerra Mundial (1939-1945), no mundo viviam 18 milhões de judeus. Os nazistas assassinaram 6 milhões. Depois da guerra, muitos judeus da Europa emigraram para a Palestina, que era inglesa, Estados Unidos, Brasil e outros países.

Mesmo enfrentando muitas dificuldades, o Estado de Israel, depois de lutar pela sua independência, em 1948, tornou-se um ímã para os judeus e, com o tempo, absorveu judeus de 120 diásporas. É o único país do mundo com maioria judia. No Estado Judeu vivem atualmente 9,3 milhões de habitantes, dos quais 74% são judeus, 21% árabes (maioria muçulmana e minoria cristã) e outros 5%, são de outras religiões, entre elas cristãos não árabes, drusos, bahai etc., ou sem religião.

A previsão do crescimento da população total no Estado de Israel é para 10 milhões até o ano de 2024 e dobrar para 20 milhões em 2065.

Segundo dados do Banco Mundial, a população mundial é de 7,6 bilhões. Assim sendo, os judeus são apenas 0,2% dos habitantes do mundo, sendo que os de Israel, menos de 0,1%, embora estejam muito focalizados pela mídia mundial. Vale a pena a mídia refletir porque trata tanto de Israel e dos judeus, ante todos os acontecimentos que ocorrem no mundo.

Foto: Halma10, CC BY-SA 3.0 (Wikimedia Commons)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *