Bloqueio durante os feriados é o último recurso

Um bloqueio é o último recurso, mas pode ser implementado nos próximos feriados judaicos se os casos de coronavírus continuarem a aumentar. O ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, disse que manter a quarentena, máscaras e restrições no Aeroporto Ben Gurion são as únicas coisas que podem evitar etapas mais difíceis.

O ministro da saúde observou que “se chegarmos a um ponto em que não haja escolha, teremos de fazê-lo. Mas se seguirmos as diretrizes, poderemos evitar bloqueios”.

Rosh Hashaná começa na noite de 6 de setembro, dando início a três semanas de feriados, muitas vezes marcados por grandes reuniões familiares. No ano passado, Israel instituiu seu terceiro lockdown na véspera do Rosh Hashaná.

Horowitz disse que o governo atualmente planeja “abrir adequadamente” as escolas, conforme programado, em 1º de setembro. No entanto, as autoridades de saúde indicaram que, se os casos continuarem a aumentar dramaticamente, um novo bloqueio já pode ser determinado em Israel em meados de agosto, um movimento que poderia permitir um período de bloqueio mais curto.

LEIA TAMBÉM

Segundo a ministra do Interior, Ayelet Shaked, “se não conseguirmos dar a terceira dose a toda a população idosa em uma semana, os casos continuarão aumentando e há uma boa chance de chegarmos a um bloqueio”, disse ela, observando que o governo também estava estudando a administração de doses de reforço para pessoas com mais de 50 anos.

Shaked também pediu que crianças de 12 a 15 anos não vacinadas recebessem a vacina COVID para proteger seus pais e avós e evitar novas restrições.

Durante a reunião do gabinete do coronavírus, na terça-feira à noite, os ministros aprovaram uma série de novas restrições para conter o aumento nos casos de COVID alimentados pela ultra-contagiosa variante Delta.

Em seu esforço para conter o surto de COVID-19, atribuído à variante Delta, o governo concordou em expandir o sistema de Passaporte Verde para todas as reuniões a partir de 20 de agosto – não apenas aquelas com mais de 100 pessoas, como é o caso atualmente – e restringir o acesso a locais públicos para crianças não vacinadas.

O Canal 12 noticiou, na noite de quarta-feira, que 90% dos israelenses que retornaram do exterior não compareceram para fazer o segundo teste PCR COVID para encurtar o período de quarentena, assim como 70% dos israelenses obrigados a quarentena devido à exposição ao COVID. Os números indicam que a maioria dos israelenses não está seguindo as restrições e saindo da quarentena de qualquer maneira, ou simplesmente não a mantém.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Claude Truong-Ngoc (Wikimedia Commons)

2 thoughts on “Bloqueio durante os feriados é o último recurso

Fechado para comentários.