Começa a segunda fase da vacinação

O primeiro ministro Benjamim Netanyahu e o ministro da Saúde Yuli Edelstein receberam, na noite deste sábado, a segunda dose da vacina contra o coronavírus e abriram assim a segunda fase da campanha de vacinação.

“Estou animado, e tenho certeza de que todos os cidadãos israelenses que estão prestes a receber a segunda dose das vacinas estão tão animados quanto eu. Em minha 17ª conversa com meu amigo, o CEO da Pfizer, Albert Burla, concordamos em maiores remessas de vacinas para o Estado de Israel, o que permitirá vacinar todos os cidadãos israelenses com mais de 16 anos dentro de dois meses, no máximo até o final de março”, disse Netanyahu.

Bibi confirmou que um grande carregamento de vacinas está programado para chegar neste domingo e declarou: “Por meio da Operação Retornando à Vida, poderemos abrir nossa economia em breve – pubs, restaurantes, academias, escolas, sinagogas e teatros. Para que isso aconteça, preciso de duas coisas de vocês, cidadão de Israel: dê uma chance para a vacina e obedeça a quarentena para evitar o vírus e suas mutações. Façamos isso juntos. Entramos na Corona juntos e seremos os primeiros do mundo e mais fortes do que nunca”.

O Ministro da Saúde Yuli Edelstein disse: “Peço a todos que tenham cuidado; vemos a luz, no fim do túnel. Vamos chegar ao ponto em que Israel será o primeiro no mundo a vacinar seus cidadãos”.

LEIA TAMBÉM

O vice-ministro da Saúde, Yoav Kish, também se referiu à campanha de vacinação como uma conquista histórica e global do Estado de Israel e que qualquer pessoa que queira se vacinar durante os próximos dois meses poderá fazê-lo, pois há doses suficientes para todos.

O vice-ministro da saúde falou sobre a grande preocupação com a mutação sul-africana, que já foi encontrada em Israel, mas afirmou que o governo não está medindo esforços para impedir a propagação.

Sobre a eficácia da vacina para a mutação, o vice-ministro declarou que a questão ainda não está totalmente clara, mas os testes realizados no laboratório da Pfizer apontam a vacina como eficaz para a nova cepa.

Kish também apresentou o passaporte verde, que cada pessoa vacinada receberá após a segunda dose. “Este passaporte será válido não só em Israel, mas também no exterior, e aqui permitirá uma abertura significativa da economia e da economia”, disse ele.

Foto: Miriam Alster (Flash90)