Desconto para ultraortodoxos gera protestos

A maior rede de supermercados de Israel foi criticada na quarta-feira, depois de ser acusada de oferecer aos compradores online da comunidade ultraortodoxa preços mais baixos em alguns produtos do que os comercializados para o público em geral.

Uma reportagem do Canal 12 descobriu que os produtos oferecidos no Shufersal Online, um serviço de entrega online administrado pela rede de supermercados Shufersal, eram mais caros do que os mesmos produtos encontrados em um segundo site dirigido a consumidores ultraortodoxos, que vende apenas produtos que possuem certificação casher “mehadrin” estrita.

De acordo com o canal, uma pizza congelada era NIS 6 mais barata quando comprada no Shufersal Mehadrin Direct, o salmão congelado caiu de NIS 64,90 no site normal para NIS 34,90 no mehadrin e um donut de geleia saía por apenas NIS 2,90, em comparação com NIS 5,90 no portal principal do Shufersal.

A matéria gerou agitação entre vários clientes da rede. O deputado Michael Biton, chefe do Comitê de Finanças da Knesset, disse que ordenaria que os CEOs da Shufersal e de outras redes comparecessem para uma discussão especial sobre os preços dos alimentos, de acordo com a rede de TV.

“Não há razão para uma pessoa que come comida casher pagar 30 a 40 por cento menos do que alguém que não come comida casher”, disse ele.

LEIA TAMBÉM

Vários consumidores reclamaram da loja nas redes sociais sobre a diferença de preço e declararam que não comprariam mais lá.

“Há anos que faço compras na Shufersal. Eu sou secular. Espero que você me recompense com muito dinheiro por todos os anos em que me enganou”, escreveu o usuário Eli Levin à rede em sua página no Facebook.

Em um comunicado amplamente divulgado, a Shufersal disse que “tem uma série de formatos de varejo diferentes, com uma variedade de produtos diferentes, preços e códigos de venda diferentes, então não há comparação entre eles”.

Embora o site do Shufersal Mehadrin Direct não seja divulgado para o público em geral e poucos fora da comunidade ultraortodoxa pareçam saber sobre ele, a rede observou que qualquer pessoa poderia fazer compras lá, independentemente de raça, religião ou credo.

O site oferece desconto em muitos produtos, mas tem uma seleção menor, pois só comercializa produtos com certificação casher mehadrin, que representa uma fração do que é oferecido na maioria de suas lojas.

Um representante do atendimento ao cliente disse ao Canal 12 que os consumidores, no passado, reclamaram quando os produtos foram trocados na entrega por itens semelhantes com uma certificação considerada pela comunidade Haredi como menos rigorosa.

Os preços dos alimentos em Israel são uma preocupação perene para muitos no país, onde o custo de vida é consistentemente classificado como um dos principais problemas para os eleitores, superando até mesmo as questões de segurança.

A última década assistiu a grandes protestos desencadeados por acusações de preço abusivos em produtos aparentemente banais, como queijo cottage por exemplo.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Utilisateur:DjampaCC BY-SA 4.0 (Wikimedia Commons)

One thought on “Desconto para ultraortodoxos gera protestos

Fechado para comentários.