Museu em Babyn Yar lembrará atrocidades

Babyn Yar é o local de um dos massacres mais trágicos da Segunda Guerra Mundial. Mas apesar de sua importância nos acontecimentos relacionados ao Holocausto, nenhum museu ou memorial marca este lugar.

Em breve, um vasto complexo de museus será construído para lembrar as vidas perdidas de milhões de judeus e não judeus pelos nazistas na Ucrânia e na Europa Oriental.

O Centro Memorial do Holocausto Babyn Yar ficará no local onde as atrocidades foram cometidas.

O complexo incluirá uma dúzia de edifícios em memória das vítimas judias e não judias do massacre e dos cerca de 1,5 milhão de judeus assassinados pelos nazistas na Ucrânia e na Europa Oriental.

O Centro incluirá um museu que irá lembrar o massacre de Babyn Yar; um museu para lembrar o Holocausto dos judeus ucranianos e da Europa Oriental como um todo; uma estrutura com os nomes das vítimas; um centro religioso e espiritual incluindo uma sinagoga, igreja e mesquita; um centro de pesquisa educacional e científica; um centro multimídia; um espaço de aprendizagem e lazer para crianças; um centro de informações e conferências e muito mais.

LEIA TAMBÉM

O conceito artístico do Museu do Holocausto Babyn Yar é liderado por Ilya Khrzhanovsky, um diretor de cinema premiado, em cooperação com uma equipe de autoridades da Ucrânia e especialistas em todo o mundo na área de desenvolvimento de museus.

Em 28 de setembro de 1941, nove dias após os alemães ocuparem Kiev, capital da Ucrânia, os nazistas ordenaram que todos os judeus da cidade se reunissem no dia seguinte, juntamente com seu dinheiro, documentos e objetos de valor, perto do cemitério da cidade. A polícia local escoltou os judeus até a ravina de Babyn Yar onde, por dois dias, foram mortos a tiros.

No total, mais de 100.000 pessoas foram assassinadas no local durante a Segunda Guerra Mundial, incluindo milhares de ciganos, prisioneiros de guerra e civis soviéticos, junto com a maioria da comunidade judaica de Kiev.

Pesquisas recentes realizadas na Ucrânia apoiam a construção do museu e ressaltam a necessidade de criar um memorial aos trágicos eventos que ocorreram no local e em toda a Europa Oriental. Cerca de 68% dos entrevistados disseram que a memória dos genocídios do século 20, como o Holocausto, está desaparecendo da consciência do público, e apenas 16% dos residentes sabiam que mais de um milhão de judeus foram mortos a tiros em suas casas durante o Holocausto.