“Os EUA têm um profundo apego a Israel”, diz Blinken

O primeiro-ministro Naftali Bennett recebeu o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, para conversas em seu gabinete em Jerusalém.

Segundo a assessoria de comunicação de Bennett os dois discutiram a invasão russa da Ucrânia e os esforços de mediação israelenses, as questões regionais e “fortalecimento” dos acordos de normalização entre Israel e nações árabes e a “agressão regional” do Irã. O primeiro-ministro ressaltou o ataque deste fim de semana à Arábia Saudita por rebeldes apoiados pelo Irã no Iêmen.

“O primeiro-ministro novamente enfatizou a posição de Israel em relação às negociações de Viena e ao acordo nuclear, enfatizando a oposição de Israel à remoção da Guarda Revolucionária da lista de organizações terroristas”, diz um comunicado do Gabinete do Primeiro Ministro.

Em seguida, durante uma entrevista coletiva ao lado do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, o ministro do Exterior, Yair Lapid, disse que a força militar e diplomática “garante a paz”.

Depois de enfatizar que os EUA e Israel compartilham “uma visão de paz através da força”, Lapid diz que ele e Blinken discutiram as negociações nucleares do Irã e a guerra na Ucrânia.

Lapid novamente condenou a invasão russa pelo nome, como tem feito desde o primeiro dia da guerra.

LEIA TAMBÉM

“O mundo não pode permitir um Irã nuclear”, diz ele, também dizendo que não poderia permitir que o IRGC espalhasse o terror ao redor do globo. Israel e os Estados Unidos continuarão a trabalhar juntos para evitar um Irã nuclear, prometeu Lapid.

Durante uma  declaração conjunta com o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, o presidente Isaac Herzog disse que os EUA e Israel “trabalharão juntos para encontrar mais cooperação regional e para o benefício de todos os povos da região e para o benefício da paz e, claro, evitando quaisquer ameaças contra Israel”.

O presidente terminou o discurso se dirigindo  em hebraico, árabe e inglês, aos participantes da Cúpula do Negev no domingo e na segunda-feira dizendo: “Bem-vindos ao Estado de Israel”.

Blinken disse que a cúpula “teria sido inimaginável apenas alguns anos atrás. O que estamos vendo é a normalização se tornando o novo normal para esta região e acho que atrairá mais e mais países à medida que veem os benefícios dessas parcerias entre tantos dos principais países da região”.

O secretário de Estado também disse que os EUA estão trabalhando para aprofundar as relações com os países com os quais Israel já normalizou as relações e encontrar novos parceiros.

“Os Estados Unidos têm um profundo apego a este país, a esta relação, a esta parceria, a esta aliança”, declara Blinken.

“Temos um compromisso sacrossanto com a segurança de Israel. O presidente Biden reafirmou isso novamente recentemente com a provisão de US$ 1 bilhão para o Iron Dome, algo que salvou vidas no passado e, se necessário, o fará novamente no futuro ”, diz ele.

Fonte: The Times of Israel
Fotos: Wikimedia Commons

One thought on ““Os EUA têm um profundo apego a Israel”, diz Blinken

  • 1 de abril de 2022 em 09:52
    Permalink

    Políticos hipócritas lambendo o chão por onde o Blinken, mais hipócrita do que os dois, está fortalecendo o programa nuclear iraniano, e exigindo que Israel entregue Jerusalém, Judeia, Samaria e Golãn para o terrorismo fakestino. , aquele que nunca foi o que diz ser agora

Fechado para comentários.

%d blogueiros gostam disto: