Relaxamento das restrições do COVID é adiado

Israel adiará o afrouxamento das restrições do COVID-19 por um mês, passando para 1º de maio, em vez de 1º de abril, como estava inicialmente decidido.

O primeiro-ministro Naftali Bennett e o ministro da Saúde Nitzan Horowitz realizaram uma consulta nesta quinta-feira com os diretores dos planos de saúde de Israel e outros órgãos governamentais envolvidos sobre o recente aumento nos casos de COVID-19 e a disseminação da variante BA.2.

Bennett aceitou o adiamento proposto pelo Ministério da Saúde de rebaixar a política de COVID-19 de Israel para “entre as ondas” de 1º de abril a 1º de maio.

Bennett tomou a decisão de manter os centros de comando do Comando da Frente Interna e do Ministério da Saúde, os regulamentos COVID em escolas e cidades e os esforços de teste. Isso inclui monitoramento de esgoto, compra de kits de teste de antígeno e fornecimento de filtros de ar para escolas.

Os prestadores de serviços de saúde e a agência de publicidade do governo apresentaram a Bennett um novo plano chamado “Col HaMatzil”, “Whoever Saves”, “Quem Salva” baseado na passagem talmúdica “quem salva uma vida, é considerado como se salvasse um mundo inteiro”.

LEIA TAMBÉM

O objetivo do plano é aumentar a vacinação entre pessoas com 60 anos ou mais, dando aos provedores de saúde incentivos para alcançar números mais altos, enviando mensagens de texto, uma campanha de mídia social e muito mais.

Bennett também recebeu um plano no caso do aparecimento de uma nova variante, incluindo o rápido fechamento do aeroporto e das passagens de fronteira para impedir sua entrada em Israel.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: Canva

One thought on “Relaxamento das restrições do COVID é adiado

Fechado para comentários.