Tel Aviv comemora e Jerusalém chora

Milhares de israelenses se reuniram na Praça Rabin em Tel Aviv, neste domingo, espalhando espuma e confete, para celebrar o estabelecimento de um novo governo em Israel e a destituição do ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

Sua icônica fonte, tantas vezes palco de folia em tempos de celebração nacional, foi esvaziada devido à construção de uma linha de metrô, mas os foliões trouxeram consigo um canhão de espuma e confetes.

No pódio da Praça Rabin, onde manifestantes anti-Netanyahu vêm pedindo que ele deixe o cargo por mais de um ano, um homem liderava aos gritos as palavras de ordem “Bibi, vá para casa”. Na liberal Tel Aviv, virar a página da era Netanyahu é considerado um momento “histórico”, disse Chen Nevo, um dos que estavam comemorando.

“Não sei se o governo vai durar, mas é uma mudança, e precisávamos de uma mudança”, disse uma manifestante, enquanto uma versão em hebraico de “Imagine” de John Lennon soava ao fundo.

A prefeitura de Tel Aviv foi iluminada com as cores da bandeira de Israel.

Quatro membros de uma família também participavam da manifestação, todos com camisetas pretas estampadas com letras brancas sinalizando o movimento de protesto anti-Netanyahu, que tem sido uma característica da vida israelense todos os sábados por mais de um ano sob o slogan: “Saia”.

Emoções contrastantes foram vistas em uma pequena demonstração de apoio a Netanyahu e nas orações de centenas de judeus ortodoxos e ultraortodoxos no Muro das Lamentações, onde uma atmosfera de luto público prevalecia.

LEIA TAMBÉM

Do lado de fora da residência oficial do primeiro-ministro, em Jerusalém, onde Netanyahu presumivelmente passava sua última noite após 12 anos como residente, algumas dezenas de apoiadores agitaram bandeiras e cantaram “nós te amamos”.

Outros gritavam “Vergonha, um governo do Hamas e Abbas”, em referência ao líder do partido Ra’am, Mansour Abbas, que se juntou à coalizão de mudança para derrubar Netanyahu.

Netanyahu agradeceu e pediu que eles se unissem a um protesto contra o novo governo marcado para terça-feira em Tel Aviv.

Enquanto isso, o Canal 20, uma estação de TV de direita que há muito apoia Netanyahu, publicou uma homenagem a ele com um vídeo de seus maiores momentos, com música de fundo de “Obrigado por tudo que você criou”, uma canção tradicional de louvor a Deus.

Mais cedo, centenas de sionistas religiosos e ultraortodoxos se reuniram no Muro das Lamentações em Jerusalém para tocar trombetas e oferecer orações contra o novo governo.

O culto foi conduzido pelo Rabino Shmuel Eliyahu, o rabino-chefe da cidade de Safed, no norte do país.

Os partidos ultraortodoxos, agora também fora do poder, criticaram o novo governo e o primeiro-ministro Naftali Bennett como “perversos” e alegaram que as políticas de seu novo governo colocariam em perigo o estado judeu.

Bennett, que é o primeiro primeiro-ministro ortodoxo de Israel, considerou o ataque constrangedor e desequilibrado, uma “explosão histérica”, e jurou que salvaguardaria a vida religiosa no país.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Captura de Tela

2 thoughts on “Tel Aviv comemora e Jerusalém chora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *