Israelense entra na Estação Espacial Internacional

Cerca de 16 horas depois de decolar para o espaço no primeiro voo charter privado para a Estação Espacial Internacional, Eytan Stibbe e seus três companheiros de viagem a bordo da cápsula SpaceX Dragon se comunicaram pela primeira vez com a sala de controle, com o empresário israelense falando hebraico.

A cápsula Dragon interrompeu sua chegada após uma falha de um feed de vídeo necessário para acoplar, mas as equipes encontraram uma maneira de contornar o problema.

“Olá a todos”, disse Stibbe em hebraico. “Já nos acostumamos com a falta de gravidade e começamos a nos sentir mais confortáveis”.

“Tenho outro indicador da falta de gravidade”, disse ele, enquanto largava um brinquedo em forma de polvo que a neta lhe deu antes de sua partida.

“O lançamento foi incrível”, disse ele. “Atualmente, estamos sobre a África e em cerca de 15 minutos sobrevoaremos as costas de Israel”.

“Vamos nos juntar à Estação Espacial Internacional em cerca de duas horas. Em uma hora vamos nos equipar com nossos trajes e começar a nos preparar para a conexão. Adeus por enquanto”, disse.

LEIA TAMBÉM

Stibbe então passou o dispositivo de comunicação para o astronauta hispano-americano Michael Lopez-Alegria.

“Nosso destino é a Estação Espacial Internacional. Meus colegas de tripulação e eu temos uma agenda de oito dias muito cheia de atividades científicas e divulgação e estamos muito ansiosos para chegar lá”, disse Lopez-Alegria. “Tivemos uma boa noite de sono ontem após o lançamento, o que foi muito emocionante. Obviamente, que passeio”.

A primeira missão espacial totalmente privada é operada pela empresa norte-americana Axiom Space e comandada por Lopez-Alegria, vice-presidente da empresa.

Os empresários Stibbe, o americano Larry Connor, de Ohio, e o canadense Mark Pathy pagaram US$ 55 milhões cada pelo passeio de foguete.

Stibbe, um ex-piloto de caça e o segundo israelense a ir ao espaço, está levando cerca de 35 experimentos para empresas e instituições de pesquisa na missão Rakia, financiada por fundos privados, para o laboratório em órbita.

Antes de entrar na cápsula SpaceX Dragon, seu entusiasmo era óbvio. Ele até dançou quando chegou ao foguete no Kennedy Space Center, na Flórida.

“Fazer parte desta equipe única é a prova para mim de que não há sonho que não possa ser alcançado”, disse Stibbe antes de decolar.

O primeiro astronauta israelense, Ilan Ramon, morreu em 2003 quando o ônibus espacial Columbia se desintegrou ao reentrar na atmosfera, matando todos os sete tripulantes. Membros da família Ramon estavam presentes quando o voo de Stibbe foi anunciado pela primeira vez em 2020 e também estiveram presentes na decolagem em Orlando, na sexta-feira.

Stibbe planeja homenagear Ramon durante a missão. Ele está carregando páginas que foram recuperadas do diário espacial de Ramon, bem como lembranças de seus filhos.

Embora cidadãos particulares já tenham visitado a Estação Espacial Internacional antes, o SpaceX é o primeiro lançamento com uma tripulação totalmente privada voando em uma espaçonave particular para o posto avançado, com as instalações de lançamento alugadas pela NASA.

Mas, ao contrário dos recentes e chamativos voos suborbitais realizados pela Blue Origin e Virgin Galactic, a Axiom diz que sua missão não deve ser considerada turismo devido aos seus objetivos científicos.

Os visitantes terão acesso a tudo, exceto à parte russa da estação espacial. A equipe da Axiom viverá e trabalhará ao lado da equipe regular do lado americano da estação: atualmente três americanos e um alemão. Para ter acesso ao lado russo, eles precisarão da permissão dos três cosmonautas a bordo.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Captura de tela (Space X Dragon)